RSS

Espólio filológico

“Desde que comecei a familiarizar-me com os artifícios da letra redonda, foram-se-me deparando, em conversas e falas ocasionais, particularmente no meio popular, termos de esquisita estrutura, que não conseguia identificar. Entendi serem palavras de aplicação restrita à localidade, umas resultado de adaptações, outras provenientes de formação regional, na maioria deformações criadas pelo linguajar do povo.

Achando isto interessante, deitei-me então a apontá-las uma a uma, com certa espécie de avareza. Impõe-se-me agora o dever de declarar que grande parte de quanto aqui compendiei não procede da minha inteira iniciativa. Ocorreu-se-me que o trabalho só ficaria completo, portanto de maior apreço, se lhe juntasse o que outros, em igual emergência já haviam escabichado.

Representa ele, uma trindade de intuitos laboriosos – o meu, que é humilde mas probo; o de Lacerda Machado, expresso pelo seu valiosíssimo vocabulário regional; o do doutor Machado de Serpa, que, embora reduzido, representa uma achega de bastante estima.”

(Marcelino Lima, Vocabulário Regional das Ilhas do Faial e Pico, 1957)

Africanada
Acto a que se dá importância sem merecer
Alumear Nomear, indicar, explicar
Angelica Vinho branco do Pico abafado
Arribar Aquele que estando gravemente doente, recuperou a saúde
Atabafar Refere-se ao leite; leite atabafado, aquele que foi fervido
Atempado Adoentado; aplica-se a pessoa, animal, planta ou fruto

*

Bagacinha Detritos vulcânicos; saibro utilizado na pavimentação das estradas
Balcão Escada de entrada no exterior das casas
Barça Salgadeira de toucinho e carne de porco
Bardo Sebe de canas ou outra planta vedando um terreno
Botequim Mercearia
Bragante Desavergonhado

*

Cagarra Ave nocturna que vive nas concavidades inacessíveis dos rochedos
Capitão Bacio; vaso da noite
Carpinteiro Vento pouco estável, rumando ora a uma lado ora a outro
Casinha Casa-de-banho
Côco O mesmo que inhame
Cramar Lamentar-se em voz alta

*

Debulho Recheio com que se enchem as aves ou outro animal para assar
Delgadinho Estar um frio cortante
Descontravontade Contra o que se deseja ou deve ser
Desfarçado Descarado; sem vergonha
Desmentir Ter uma entorse; por exemplo: ‘desmentir  um pé’
Destoitiçado Indivíduo precipitado, sem ponderação

*

Emaçarocado Pão que não levedou na cozedura
Encalar Cozedura incompleta de qualquer alimento
Escadeirado Estar com dores de rins, moído de pancada ou de trabalho
Esgrimar Tentar iludir
Estarraçar Partir, quebrar em cacos
Estoa Do inglês: store; estabelecimento de negócios

*

Farelo Serradura: farelo de serra
Farfante Presunçoso
Fieira Cordel para deitar o pião
Folga Baile popular dentro de casa
Foliões Indivíduos que cantavam loas ao Divino
Freima Arrelia

*

Gaitada Risada estrondosa, gargalhada
Galocha Tamanco de cabedal com soco de madeira
Ganhoa Gaivota
Génio Pessoa mal-humorada, irascível
Gorgomilhos Garganta, guelras
Graxa Banha de porco, unto

*

Honesto Modesto, sisudo, grave; tecido de cor honesta: cor escura, séria

*

Inclinado Propenso; terra inclinada: terra de bom fundo de cultivo
Inticar Meter-se com alguém, arreliar

*

Jagodes Indivíduo mal arranjado, trapalhão
Japanão Mal vestido, trazendo fato que não está a medida do corpo
Jaziga Oportunidade; momento favorável do mar para manobrar a entrada da embarcação

*

Labandeira Alvéola, ave
Ladrilho Termo exclusivamente faialense, designando os passeios da rua
Lanchão Espécie de fragata em uso na Horta para carga e descarga de navios
Laparoso Corrupção de ‘leproso’, infame, ordinário, reles

*

Madorna Adulteração de ‘modorra’, sono leve, sonolência
Manada Doença agrícola: ‘As batatas estão com a manada.’
Moldear ‘moldear’ a vida: ajeitar-se às circunstâncias
Motiva De ‘motivar’: Isso não se motiva, isso não se divulga

*

Passa-fora Expressão repreensiva, de censura, de indignação
Picadilho Tabaco picado para os cigarros
Poderes Abundância, grande quantidade: ‘Ter poderes de roupa.’

*

Queda Salto, tacão da bota ou sapato; também significa o ondeado do cabelo

*

Rebendita Represália, vingança

*

Traidores Calçado de má forma que magoa os pés

*

Vela ‘andar à vela’: mulher de moral duvidosa que se não recata
Véspera Bolo de massa de trigo, rijo, que se distribui nas festas do Espírito Santo, no Pico

*

Anúncios
 

4 responses to “Espólio filológico

  1. Fernando Santos

    Novembro 9, 2009 at 11:28 am

    Gama – Pastilha elástica;

     
    • Teresa Marques

      Novembro 9, 2009 at 2:33 pm

      Essas eram tão especiais, trazidas pelos “calafonas”…
      Calafona – emigrante nos Estados Unidos da América.

       
  2. Ana Casals

    Fevereiro 22, 2012 at 7:23 pm

    Que giro… também sei alguns ainda em uso:

    Albarcas – calçado em couro, espécie de sandália
    Alvaroses – calças com peitilho, jardineiras (do inglês)
    Batarrolo – “ir de batarrolo”, cair aparatosamente
    Cochim – almofada
    Descreto – inteligente, astuto
    Friza – congelador (do inglês)
    Menistra – mesinha de cabeceira
    Perfeito – rechonchudo, “bem nutrido”
    Samarra – qualquer casaco
    Somenos – “estou muito somenos”, adoentado
    Suera – casaco de malha
    Rocio – maresia

     
    • Teresa Marques

      Fevereiro 22, 2012 at 9:47 pm

      Agora que diz, também me lembro dessas palavras! Obrigada pela partilha. =))

       

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: